6 atitudes de um sem noção em viagens

Todo mundo que já fez ao menos uma viagem na vida tem uma história para contar de algum sem noção. Sempre tem um sem noção. Se você não se lembra de nenhum, provavelmente é porque você é um deles!

Existem dois tipos de sem noção: o que te irrita e o que não afeta em nada a sua vida, mas te faz dar algumas risadas. Segue alguns exemplos:

1. O da selfie muito perto do monumento

Isso eu vi acontecer muitas vezes na Ilha de Páscoa, onde os monumentos são gigantes e as fotos ficam ainda melhores quando acompanhadas de paisagens. Os turistas normais mantêm uma boa distância para tirar a foto do monumento inteiro e alguns até preparam seus tripés e fazem belos timelapses do pôr do Sol.

Todos se alinham na mesma altura e fica fácil entender o que está acontecendo. Mas aí vem o sem noção. Ele chega pertinho do monumento, aparece na foto e nos vídeos de “geral” e tira aquela selfie matadora que vai ficar igualzinha à que ele tirou na sacada de sua casa: está tão perto que só ele aparece.

2. O do descansa braço da poltrona do meio

Esse é um tema muito polêmico e muitos vão discordar. Vocês conhecem alguém que pede para sentar na poltrona do meio do avião? Óbvio que não, ninguém quer ficar espremido lá, que é de longe o pior lugar. Quem senta na janela, além de ter uma vista bacana, pode apoiar a cabeça e ficar bem confortável. Quem senta no corredor, pode esticar os pés e ir ao banheiro sem ter que pedir para os outros se levantarem. Quem senta no meio não tem nada. Ele tem tão “nada” que nem é senso comum que os dois descansa braço que limitam o seu perímetro são seus.

Em minhas viagens no meio geralmente prevalece a lei do maior: quanto maior a pessoa ao lado, mais ela merece o descansa braço. Eu acho que isso está errado e por uma questão de justiça, o dono deles deveria ser sempre o sofrido passageiro da poltrona do meio. Na sua próxima viagem, não seja sem noção e tenha piedade dele, ceda o seu descansa braço.

3. O da piscina do hotel

Não é à toa que muitos hotéis hoje em dia não aceitam crianças e isso os torna até bem populares. Eu pessoalmente acredito que o motivo principal da proibição é devido a farra na piscina. Não me entendam mal, eu amo crianças, mas é bem desagradável você estar curtindo aquele drink na água e vir uma criatura dar aquela “bomba”, e salve-se quem puder.

Mas a crítica deste item não é sobre as crianças, elas não têm culpa, ainda. O item se refere aos adultos sem noção que resolvem nadar 1000 metros de crawl na piscina de 5 metros do hotel e espirram água por todos os lados enquanto fazem 100 bate e volta.

4. O do fone de ouvido estourado

Você entra no avião para um voo de 5h e tem uma pessoa simpática ao seu lado. Só que aí ela tira aquele fone de ouvido estourado da mochila e começa a escutar música eletrônica às 7h da manhã sem perceber que está todo mundo acompanhando.

5. O que guarda itens pessoais nas cadeiras do aeroporto lotado

Os aeroportos estão cada vez maiores e mais cheios. Você chega cansada no portão de embarque depois de andar quase 1km carregando todas as suas malas. Chegando lá, as 697 cadeiras estão ocupadas, metade por pessoas e metade por seus itens pessoais. Você caminha entre as cadeiras, dá aquela olhada e espera para ver se todo mundo ali é sem noção mesmo ou se é um caso aceitável de falta de atenção. As vezes só isso é suficiente para um desatento ceder a cadeira e retirar suas malas, mas talvez você perceba que ali está sentado um mal educado que não quer ninguém ao seu lado, ou se trata de mais um caso clássico de pessoas sem noção.

6. O que reserva cadeira de praia

Você acorda naquele resort maravilhoso, toma um café da manhã dos deuses e resolve ir para a praia ou piscina. Chegando lá, todas as cadeiras estão ocupadas. Mas não, não tem ninguém nelas, nenhuma bolsa, nenhuma pessoa, apenas toalhas jogadas para reservar a cadeira.

Isso me dá nos nervos! Eu não sei onde surgiu esse péssimo hábito, mas eu acho que os resorts deveriam fazer algo a respeito. Nunca vou esquecer uma cena que assisti em Aruba onde duas mulheres corriam até a última cadeira “disponível” e jogavam, ao mesmo tempo, suas toalhas sobre ela. A briga sobre qual toalha caiu primeiro foi inacreditável.

Eu ainda não sei qual é a estratégia neste caso, mas acho que os sem noção acordam de madrugada, reservam suas cadeiras e voltam a dormir. E o pior de tudo é que não há saída a não ser se tornar também um sem noção, seja roubando a cadeira alheia e se preparando para a briga ou fazendo pitstops na cadeira de praia antes mesmo do café da manhã.

E aí, vocês concordam? Contem pra gente nos comentários exemplos que já aconteceram com vocês e compartilhem o link com os amigos sem noção!

Liza Roriz

4 Comments

  1. Dei muitas risadas aqui 😀 Com certeza vou lembrar da pessoa na cadeira do meio. Tirando a história da selfie e da cadeira de praia, desconheço (ou nunca reparei) nos outros itens. Mas agora estarei mais atenta rsrs

Your comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *